Temas

Musica Ilhavo Recreativo Ilhavo Antigo Ilhavenses Ilustres Lugares Carnaval Costa Nova Curiosidades Religiao Bombeiros de Ílhavo Illiabum Colegio Jornais Ílhavo Semana Santa Ilhavo
João Marques Ramalheira
In "Canção do Mar"
Falar de Ílhavo, é falar do mar - do seu sussurro, da sua canção cujo eco se repercute pelos séculos além. Ílhavo e o mar andam tão unidos como o perfume às rosas e a inquietação à alma humana!
Rua Direita na mesma data

Anterior

Ílhavo de outros tempos

Rostos de Ílhavo (I)

ROSTOS I...

O Sr.º Orlando, relojoeiro de profissão, era um músico indefectível da Banda da Arrifana, donde era natural e que também passou pela Música Nova. Durante alguns anos, assistimos os dois aos concertos da Festa da Arrifana (Raínha Santa Isabel), que se realizam no 2º Domingo de Julho. Sempre com duas Bandas Filarmónicas ao despique, vibrava intensamente, quando actuava a Banda da sua terra. Um bom amigo!! (Fotos enviadas por Fátima Teles Silva Simões)




Este é o Ilhavense João Udine Serrano Almeida, irmão do conhecido Fernando Almeida que teve a amabilidade de nos facultar a foto. Aqui, com os seus cinco netos, vive nos USA, reformado, 73 anos e bem de saúde! Oficial náutico, era imediato no arrastão bacalhoeiro "CIDADE DE AVEIRO", quando este foi campeão da europa de pesca - 60.000 quintais num ano - (era capitão nesta altura Joaquim Bela) . (Notas enviadas pelo Fernando Almeida)

FOTOGRAFIA DE FAMÍLIA (Anos 30/40)


Foto de Alzira do Bem (à dtaª na foto)com sua mãe Felicidade Guincha

NO JARDIM HENRIQUETA MAIA ( Anos 70)


Em baixo da esq.: Francisco, Eurico, Carlos Martins, M.Topete e João Peixoto
Em cima da esq.: Guilhermino, Manuel Ré, J. Carlos Loureiro e Ricardo Ançã
Foto de G.Ramalheira

FIGURAS TÍPICAS
Maria Embergue de seu nome (à direita na foto) prima da mãe de Armando Teles (o Quintino),fazia curas da dor de cabeça. Utilizava, para isso, um guardanapo especial e água numa pequena garrafa. A cura era obrigatóriamente feita ao meio dia em ponto. Na época (sensivelmente há 50 anos), as pessoas com dor de cabeça, iam à Srª Embergue, pedindo que lhes "tirasse o Sol"


Da esq.: Maria Cardoso Teles, Maria Rosa, Josefa Brinca e Maria Embergue
Foto de Armando Teles (o Quintino) em baixo na foto

CONFRATERNIZAÇÃO 15-02-1970

A BORDO DO NAVIO BORBA - Luanda 02-06-1968


Da esq.: J.Santos, J.Leite, Arnaldo e Firmino

CORTEJO DE N.Sª. PRANTO


Fotos de Firmino Balacó

MARIA DO CARMO GALANTE
Ilhavense sempre bem disposta, caiadeira, lavadeira e vendedora de "fatico" nas feiras


Foto de Firmino Balacó

NO TEMPO DAS CAIADEIRAS!!!

Em tempos idos, antes do betão e do azulejo, era vulgar em Ílhavo caiarem-se as casas antes das datas festivas (Páscoa, S. Jesus, Nª.Sª Pranto, etc), havendo algumas mulheres que o faziam duma forma exemplar. É o caso da mãe da Helena "Caracola", Deolinda Caracola,, que nos fez chegar uma foto, bem como de seu pai, José Pereira da Catarina mais conhecido pelo José Alegre que era matador de gado e trabalhava nos quintais (sic).


Maria de Lurdes Mateiro (a Beijinha) e Helena da Catarina


Penúltimo Cortejo para os Bombeiros
Fotos de Helena da Catarina

MARIA HELENA PEREIRA DA CATARINA (mais conhecida pela Helena Caracola)
UMA NOVA FIGURA TÍPICA DO VELHO LARGO DO OITÃO, COM OS SEUS TREMOÇOS E PEVIDES


Fotos do autor

ANTÓNIO GOMES DA ROCHA MADAIL (aos 14 anos)

PADEIRA DE VALE DE ÍLHAVO (foto anterior a 1952)

Irene Torrão de Vale de Ílhavo

DINIZ GOMES, VITÓRIA GOMES E VITOR GOMES (filho) NO PÁTIO DA FARMÁCIA DINIZ GOMES

MANUEL JOSÉ COM A CADELA "JÓIA" - COSTA NOVA

MANUEL EDUARDO PEREIRA (O PAZ GUERRA)
Pintor e actor ilhavense de nomeada do sec. XIX, tio do distinto Drº João Carlos Celestino Gomes, pertencente ao Clube dos Novos que tinha a sua sede no Teatro Recreio Artístico (antiga loja dos Vizinhos, no Largo do Oitão). A seu lado, o quadro de Nª.Senhora da Conceição, de sua autoria. Com os actores João da Conceição Barreto, João da Rocha Carolla e Rosa Gomes, inauguraram este Teatro em 6 de Fevereiro de 1876 com as comédias “Camões do Rocio” e “Um Marido Que É Vítima das Modas”. Foi também co-autor (com Gabriel Pereira da Bela e Amadeu Simões Teles) das pinturas que ainda hoje se podem admirar naquelas instalações. Este edifício, construído no final do séc. XVIII, foi casa de habitação do capitão de cavalaria Sebastião José Cardoso Pizarro, fidalgo da casa real, casado com Ignez da Silveira de Sousa Magalhães, avós do visconde de Almeidinha. Lá nasceu em Abril de 1813 o comendador e conselheiro José Ferreira da Cunha e Souza. Com novos proprietários, a casa degradou-se e um grupo de sete Ilhavenses adquiriu-a para lá instalar o teatro. As obras foram dirigidas pelo ilhavense Engº António Tavares Lebre. O pano de boca representa a lenda da apresentação de Egas Moniz ao rei de Castela. No frontão estão representadas as duas musas: Comédia e Tragédia. O Clube viria a fechar em 1911, tendo sido leiloado o respectivo recheio.

PESCADORES ÍLHAVOS

DIONÍSIO CÂNDIDO GOMES

Pai de Diniz Gomes, casado com Rita Cacilda de Anunciação (mais tarde com o nome de Rita da Anunciação Gomes) e irmão de João Carlos Gomes (avô de João Carlos Celestino Gomes).Era filho de Manuel José Gomes e de Victória Umbelina de Oliveira Vidal. Pertenceu ao partido Progressista e esteve durante quatro anos homiziado, devido a um delito político, provocando-lhe grande sofrimento. Foi por várias vezes presidente da câmara, tendo começado a estrada para as Quintãs e ordenado a reconstrução da ponte da Gafanha de Aquém. Foi juiz da confraria do S.S. e Almas e exerceu o cargo de juiz de paz. Foi um dos fundadores do então Montepio Ilhavense e também um amador dramático, sendo sócio do teatro Ilhavense. Chegou a ser tesoureiro da câmara. Morava ao fundo do Beco da Eira (à Rua Arcebispo Pereira Bilhano), ainda quando este não tinha saída. Os irmãos Gomes: João Carlos Gomes, Dionízio Gomes, António Cândido (delegado dos Correios em Ílhavo e tesoureiro municipal), José Cândido (sacerdote), Luís Cândido (ajudante da farmácia de João Carlos), Cândida (casada com o ourives José de Oliveira Craveiro), Luísa Cândida (casada com o pintor Manuel Eduardo Pereira, o Paz Guerra), Maria Vitória e Rosa Cândida (casada com o pintor Gabriel Pereira da Bela).

JUNTO À IGREJA MATRIZ


Da esq.: Dinis Gomes, ?, Dr. Rebocho, Valdemar Abreu, Francisco António de Abreu (presidente da CMI 1947/51), ?, ?, ? Judite Ramalheira

O TI CABELO DA TI AMÉLIA SARDA - 1930

DR. EDUARDO VAZ CRAVEIRO

JUNTO AO BECO DA EIRA (Rua Direita)

RUA ARCEBISPO PEREIRA BILHANO
À ESQUERDA A CASA ONDE VIRIA A SER A SEDE DO ILLIABUM CLUB


Fotos cedidas pelo Drº Manuel José Vaz Craveiro

D. ADELAIDE MATIAS (Florista)

José Cândido Pereira Celestino Gomes

NO JARDIM - OUTUBRO 1990


Foto de F. Pinho

ZÉ NUNO


Foto de Helena Pessoa

JUNTO À QUINTA DO PAÇO DA ERMIDA
GRUPOS COMO ESTE, INFELIZMENTE JÁ NÃO HÁ...


Da esq.:Rebelo, Barreto, Melo, Frederico, Augusto, Vidal Ferreira, A. Graça e A. Pelicas

FOTOS DE CARNAVAL


Reconhecem-se Odete Caravela, Mª Júlia, Júlia Teiga, Werter Teiga, Georgina, Sílvio Teiga, Fernando Lúcio
Frederico Silva, João Vidal e José da Madalena
Fotos de Ana Silva

SESSÃO DE CINEMA NO SALÃO DE FESTAS DO ILLIABUM CLUBE


Reconhecem-se 1º plano da esq.:Júlio Vidal Ferreira, Amadeu Agra, Dr. Álvaro da Costa Marques (presidente do Illiabum em 1950/51) e José Capote
2º plano da esq.:Sílvio Lau Ramalheira, Eduardo Craveiro e Dr. José Luís
3º plano da esq.:Narcindo Vagos e A. Pessoa
4º plano, João do Rio Teles
Fotos de Helena Pessoa

GRUPOS DAS VISITAS PASCAIS


Reconhecem-se: Manuel Teles, Manuel Azevedo, Padre Cirne, D. Júlio T. Rebimbas, António Santana, Padre Cajeira, Amadeu, João .J. Carrapichano
Armando dos Anjos, Vitor José (Padre), J. Manuel Azevedo, Amadeu Marnoto, José Manuel, Aristides, ??
Foto de Júlia Ruivo

1º CARRO DE INCÊNDIO CONSTRUÍDO NA OFICINA DO CMDT. ANDRÉ SENOS
QUADRO DE BOMBEIROS

COMANDANTE ANTÓNIO ANDRÉ SENOS


Foi Comandante dos B.V.I. e nos anos 30 construiu o Leão das Chamas.

Fotos de Berta Senos

OS ILHAVENSES MAGOS DA MÚSICA FREDERICO SILVA (VIOLINO) E JOSÉ DA MADALENA (VIOLÃO) COM FRANCISCO VIDAL FERREIRA (XICO MANGUEIRO)
VIOLÃO FEITO PELO CONSTRUTOR ILHAVENSE CASIMIRO TOPETE

DO CANADÁ CHEGAM-NOS ESTAS PRECIOSAS FOTOS DO ILHAVENSE (VISTA ALEGRE) JOÃO NORDESTE E ASSÍDUO VISITANTE DESTA PÁGINA. OS NOSSOS AGRADECIMENTOS PELA COLABORAÇÃO

SPORTING CLUBE DA VISTA ALEGRE - 1940

SPORTING CLUBE DA VISTA ALEGRE - 24 ABRIL DE 1938


Jogo com o Beira Mar (empate a duas bolas)
 

CONFRATERNIZAÇÃO DE APOSENTADOS DA VISTA ALEGRE (25 E 50 ANOS)

JUNTO À CASA DO ARCO DA RUA DIREITA - Julho de 1963


Reconhecem-se, Firmino, Armando Quintino, Manuel Branco, Mário Vizinho e alguns funcionários da antiga casa Bagão Félix & Irmão

ANTIGA BARBEARIA RAUL


Da esq.: Bernardo Cajeira, Armando Quintino, João Marnoto Praia, Manuel C. Branco e João Mário

ANTIGA BARBEARIA CÂNDIDO - 24-11-1950


Da esq.: António Serrão, Bernardo Cajeira, Sílvio Teiga, Armando Quintino e Mário Júlio Teles
Fotos de Armando Teles (O Quintino)

ANDA SEXTA-FEIRA À RODA!!!!
ERA ESTE O PREGÃO DE ANTÓNIO OLIVEIRA LEBRE, MAIS CONHECIDO PELO SEBASTIÃO CAUTELEIRO


Junto ao Café Luso

NO VERSO DA FOTO ANTERIOR, CONSTA O DEFERIMENTO PARA O DESEMPENHO DA ACTIVIDADE - 1958
Neste caso como engraxador


Foto cedida pelo filho de A. Lebre

FESTA DE HOMENAGEM A JOÃO VIDAL


Fotos de António Machado


Foto de Manuel Augusto

FESTA NO ANTIGO CAFÉ LUSO DA PRAÇA DA REPÚBLICA - 1953
ANTIGO CAFÉ TÁMAR E HOJE CAFÉ ILHAVENSE


Reconhecem-se: Henrique Pereira, Carlos, Biscaia, Samuel Nordeste, A. Lavanco (filho), Cândido, Augusto Verdade, Chico Cavaz, Sebastião, Nordeste, Álvaro, J.Virgílio, Verdade, Balcão, Cevadinha, Chiquinho, Júlio Forte Homem, Casimiro Serrão, António Almeida (V.A.), Teles, Zé da "Boroa", Verdade, Adriano Grego, F. Torrão, Castro, Lavanco (pai), António Bio, Artur Oliveira, José da Madalena, João Vidal e Verdade
Foto de F. Torrão
 

O CAFÉ ARCO ÍRIS DOS ANOS 50/60

Era um local aprazível, o Café Arco Íris de João Filipe, na Gafanha de Aquém! Por debaixo daquela parreira acolhedora, foi ponto de encontro para muitas confraternizações. Dizem-me que a chanfana confeccionada por João Filipe, era divinal! Com a gaiola do canário e as belas caçoilas de chanfana, aqui fica a recordação do Café Arco Íris


Sentados da esq.: Manuel Vinagre, Quim Anadio, António Vagueiro, José Vítara, Vagueiro, Armando Teles, Albano, Manuel Vizinho, Messias Rolo e Manuel. Em pé da esq.: Manuel Fonseca, Casimiro Pires, João Filipe, Alfredo Santos, ???, Cândido Correia, Silva e ???
Foto de Z. Vinagre

40º ANIVERSÁRIO DOS ESCUTEIROS - 15-08-68


Fotos de A.Bizarro

JUNTO AO MERCADO ANTIGO


Da esq. :Jerónimo, Amadeu Pinho (do talho), João da Fonte, João e Mudo sapateiro (foto de J.Madalena)

MARIA DE ASCENSÃO FERREIRA

Foi das fotos mais difíceis de encontrar, mas mão amiga (Gracelina) teve a amabilidade de a conseguir, através do irmão de Maria de Ascensão (Francisco)! Esposa de Gilberto Verdade, notabilizou-se nas revistas "Desfolhar do Malmequer" e "Acontece Cada Uma". Muito bonita e com uma presença em palco fora do vulgar, Maria de Ascensão era senhora duma voz inconfundível! Prestamos aqui a nossa singela homenagem a esta artista Ilhavense que prematuramente nos deixou (16-01-1968)


Maria de Ascensão aos 22 anos


 

ALMOÇO NO ILLIABUM CLUBE PROMOVIDO PELO SINDICATO DOS CAPITÃES, OFICIAIS NÁUTICOS E COMISSÁRIOS DA MARINHA MERCANTE, PELA VISITA A ÍLHAVO DO ALMIRANTE HENRIQUE TENREIRO - 1952/53
Foto do Cap. A.Gordinho


(1)- César Augusto (2)-Orlando Vidal (3)-Francisco Paião (4)-Augusto Labrincha (5)-Francisco Leite (6)-Carlos Bela (7)-A.Gordinho (8)-José Bilelo (9)-José Leite (10)-Rigueira (11)- prof.Vital (12)-prof.Júlio Fernandes (13)-João Matias (14)-José Negócio (15)-Armindo Ré (16)-Júlio Redondo (17)-Aquiles Bilelo (18)-João Carlos Loureiro (19)-Picado (20)-João F. Matias (21)-António Teles (22)-Barraca-Fig.Foz (23)-Malaquias (24)-Guerra-Fig.Foz (25)-Furtado (26)-Edmeu (27)-prof José Lau (28)-Rosário Bilelo (29)-Augusto Labrincha -Pai  (30)-José Vaz  (31)-Cajeira  (32) -Pata-contra-mestre  (33) - Carlos Parracho - o Keeper  (34) - Pinto da Cunha-Fig. Foz  (35) - Inácio-Fig.Foz  (36) - Artur S. Marcos

NA ANTIGA ESPLANADA DA COSTA NOVA

NO SALÃO DE FESTAS DO ILLIABUM CLUBE

JUNTO AO CAFÉ JARDIM

PROFISSÃO QUASE DESAPARECIDA
HÁ QUEM LHE CHAME DUMA FORMA SIMPÁTICA, OURIVES DE SOLA
MANUEL BELA

!imagem senhora do xaile!


TEODORO DOS SANTOS REDONDO

Foi funcionário no Café Cândido durante muitos anos. Faleceu a 15 de Março de 1965.


Dr. José Luís Mano Dias

Insigne professor Ilhavense do Ensino Secundário, nasceu a 14-09-25 e faleceu em 27-02-99
 (Foto de Novembro de 1947, gentilmente cedida por Carlos Queiroz)



Guilherme Marques
Pai do prof. João Marques Ramalheira


Sapateiro de profissão, adepto indefectível da Música Velha, onde tocava rabecão


DINIS GOMES

Com 17 anos

Em Junho de 1902 com 30 anos

Sem data (fotos do Drº. Manuel José Craveiro)

Autarca (presidente da câmara de 16-08-1919 a Junho de 1926 e de 11-10-26 a 30-12-41), jornalista e publicista. Foi responsável por vários melhoramentos, entre os quais o antigo mercado (Largo do Bispo), quartel dos B.V.I., escola da Rua Ferreira Gordo, a Avenida Dr.º Mário Sacramento, Jardim Henriqueta Maia, Avenida da Saudade e Av. Da Senhora do Pranto, esplanada marginal da Costa Nova e monumento ao Arrais Ançã. Foi também maestro da Filarmónica Ilhavense. Era proprietário da farmácia Diniz Gomes. Nasceu em 25-01-1872, filho de Dionísio Cândido Gomes e de Rita Cacilda da Anunciação (mais tarde com o nome de Rita da Anunciação Gomes) e faleceu em 29-01-1952. Está sepultado no cemitério de Ílhavo.



Prof. José Pereira Teles


prof teles

Frequentou o Seminário de Coimbra até ao 2º ano de Teologia, matriculando-se, depois, no Magistério Primário. Começou por leccionar em Pessegueiro (Leiria), passando depois por Canelas e Ílhavo onde se aposentou em 1956. Foi director da Escola Masculina de Ílhavo, tendo sido agraciado com o grau de Cavaleiro da Ordem de Instrução Pública, pela Presidência da República. Começou por publicar em 1905 o Jardim, em 1907 a Alvorada, em 1909 um número único do Ilhavense e a Sirene, em 1910 o Brado e finalmente em 1921 o Ilhavense, que ainda hoje se mantem. Escreveu com João Teles e Guilhermino Ramalheira, a revista O Francês das Notas em 1924 e a Nossa Escola, revista infantil dos alunos da Escola Primária da Ferreira Gordo, em 1933. Foi das personalidades Ilhavenses que mais lutou pelo engrandecimento da sua terra, através dos seus escritos ao longo de vários anos. Nasceu em Ílhavo a 09-02-1891 e faleceu 14-03-1973 com 82 anos, filho de António Maria Pereira Teles e de Joana da Silva Paroleira. Encontra-se sepultado no cemitério de Ílhavo.



José Maria da Silva

Cunhado de José Vidal, José da Silva além de tocar cornetim, fazia manualmente as cópias das partituras para as bandas, usando um traço muito bonito e perceptível, que ainda hoje se reconhecem como suas. Faleceu com 84 anos em 12 de Setembro de 1976


Partitura escrita à mão por José da Silva, da Revista Galeota em 1934


Na Praça da República


ISAURA PEREIRA LUZIO (SERROA)

Quem não se lembra do arroz doce feito pela Isaura Serroa? Era tradição oferecer-se uma travessa de arroz doce em datas assinaladas, como p.ex. baptizados, casamentos, comunhões e esta Ilhavense preparava-o duma forma sublime. Hoje perdeu-se este ritual e o arroz doce deu lugar a um qualquer bolo folhado adquirido nas várias pastelarias que por aí existem. No entanto, sabemos que muitas das nossas conterrâneas ainda o fazem com o sabor antigo, bem como o leite creme e a aletria!


ALEXANDRE MAGANO

Conhecido funcionário das Finanças em Ílhavo e Vagos, da primeira metade do séc. XX.


A FAMÍLA TELES

Era grande a família Teles (11 irmãos) e praticamente todos eles ligados às Artes (pintura) e filantropia. Todos passaram pelo Brasil onde trabalharam durante algum tempo. Eis algumas notas curiosas de alguns deles:


VIRIATO TELES

Fundador do Hospital de Ílhavo


AMÉRICO TELES

Um dos grandes impulsionadores do Museu Marítimo de ÍIlhavo


JOÃO SIMÕES TELES

Foi autor com os profs. José Pereira Teles e João Marques Ramalheira, da Revista “O Francês das Notas” levada à cena em 1924 no antigo Teatro Municipal em Cimo de Vila (no antigo Convento). Chegou a trabalhar no Porto e no Brasil, ingressando, no regresso, na Fábrica da Vista Alegre como escriturário. Escrevia duma forma fluente e mordaz, sendo célebres os seus inúmeros textos publicados no jornal O Ilhavense, quer em prosa como em verso, às vezes com o pseudónimo de Saguncho, nas rubricas Fitas da Semana, Coisas de Cá e de Lá e nos artigos sempre elogiosos sobre Ílhavo, sua terra Natal. Foi presidente da Junta de Freguesia e vereador no segundo mandato de Diniz Gomes, altura em que foi construída a Escola Primária da Rua Ferreira Gordo. Pai de Manuel Teles e João Teles (da casa Tricana). Filho de Manuel Simões Teles e de Maria Gonçalves de Jesus, nasceu em Ílhavo a 15-03-1886 e faleceu em 21-11-1962 com 76 anos. Encontra-se sepultado no cemitério de Ílhavo


AMÉRICO QUINTINO TELES

Ficaram célebres as pinturas das nossas praias, feitas em conchas e os pratos com diversos frutos.


MANUEL SIMÕES TELES

Era proprietário de uma ourivesaria e relojoaria tendo agregado uma casa de penhores, vendendo e alugando, também, bicicletas:

SILVÉRIO TELES

Proprietário da casa de fazendas "A Tricaninha" (casa doada à Santa Casa da Misericórdia de Ílhavo por Viriato Teles e onde está instalada uma dependência da Drogaria Bela). Ficaram célebres as pinturas de Nus Artísticos e as máscaras de Carnaval feitas de papelão, pintadas por ele e vendidas na sua loja. Era pai do conhecido Bento Teles;


CONCEIÇÃO TELES

Proprietária da conhecida casa  de fazendas "A Tricana";


DEOLINDA TELES

De espírito muito abnegado, conta-se que foi propositadamente ao Brasil à procura de um dos irmãos e, para não ser reconhecida, vestiu-se de homem, fumando por vezes o seu cigarrinho. Encontrou-o e trouxe-o de volta para Ílhavo;


AMADEU TELES

Pintou todas as ornamentações do Clube dos Novos (13-11-1905) (Loja dos Vizinhos). Tinha também um grande amor pelas plantas e foi ele que cedeu as palmeiras para plantação no Jardim Henriqueta Maia, enraizadas no seu quintal da rua Dr. Samuel Maia. Pai de Mário Teles e Cândido Teles. São de sua autoria os quadros da Costa Nova que se encontram no Café Coração da Praia;


ARMANDO SIMÕES TELES


Reinaldo Teles:  passou praticamente toda a sua vida no Brasil


Grupo de angariação de fundos para o Hospital, com alguns irmãos da família Teles


QUIM CAMARÃO


Foto quando estudante do primeiro ano de Filosofia da Universidade de Coimbra

Este Ilhavense foi a mais radiosa e prometedora esperança intelectual da nossa terra. Filho de Manuel dos Santos Camarão e Luísa Marques Machado, faleceu muito jovem em 15 de Abril de 1901, tendo colaborado no Jornal O Nauta e noutras publicações manuscritas do final do século dezanove.


ANTÓNIO MARIA MARQUES VILAR

Fundador, director e redactor principal do Jornal Os Sucessos, tendo o primeiro número saído em Julho de 1888.


PROCÓPIO D'OLIVEIRA

Fundador e Director do Jornal "O Nauta" cujo primeiro número saiu a 2 de Junho de 1897


DUARTE PINHO 18-08-1891 / 10-05-1965

Prof. Duarte Pinho, co-autor da revista A Galeota. Também costumava cantar nas cerimónias da celebração da Semana Santa.


ARRAIS GABRIEL ANÇÃ

Nasceu em Ílhavo a 12-01-1845, filho de João José Ançã e de Maria de Jesus. Foi um símbolo do heroísmo dos homens do mar, tendo salvado ao longo da sua vida, cerca de 123 náufragos, entre os quais 17 do vapor francês “Natalie”, entre a Torreira e S. Jacinto, tendo sido condecorado pelo rei D. Luís, com medalha de ouro por distinção, filantropia e generosidade neste salvamento. Pelos mesmos motivos foi-lhe concedida por decreto de 1898, uma medalha de prata. Ficou célebre esta frase do Arrais: Ah mar, que tu, todo, não cabes dentro do meu cachimbo!...

Faleceu em 28-02-1930 com 85 anos estando sepultado no cemitério de Ílhavo.


VIAGEM PARA AVEIRO


JOÃO CAROLA

Um dos grandes compositores de música sacra do princípio do século XX.


GRUPO DA REVISTA P'RA INGLÊS VER

Passeio a S. Jacinto (em pé sobre o lado esquerdo Sarinha Figueiredo que cantava "A Viuvinha"



RELATO DE FUTEBOL

Carlos Teixeira e Santos Vidal num relato de futebol para a Rádio Terra Nova


MANUEL MACHADO DA GRAÇA

Nasceu em Ílhavo em 1908 notabilizando-se pelas gravuras que esculpia em madeira para poderem ser impressas no jornal "Beira-Mar". Foi co-autor da revista "P'ra Inglês Ver". Formou-se em Farmácia, foi para Moçambique regressando a Portugal onde veio a falecer em 1981.

Próximo

Rostos de Ílhavo (II)