Temas

Musica Ilhavo Recreativo Ilhavo Antigo Ilhavenses Ilustres Lugares Carnaval Costa Nova Curiosidades Religiao Bombeiros de Ílhavo Illiabum Colegio Jornais Ílhavo Semana Santa Ilhavo
João Marques Ramalheira
In "Canção do Mar"
Falar de Ílhavo, é falar do mar - do seu sussurro, da sua canção cujo eco se repercute pelos séculos além. Ílhavo e o mar andam tão unidos como o perfume às rosas e a inquietação à alma humana!

Anterior

Músicos Ilhavenses de Outrora II

Referências

1955

S. DOMINGOS DE ANA LOURA (ESTREMOZ)

Pequena povoação do Alentejo profundo, a poucos kilómetros de Estremoz. Familiar nosso foi aqui colocado na escola primária que funcionava numa sala emprestada para o efeito, num monte com o nome de Ferrarias. Os proprietários pessoas duma hospitalidade invulgar, dedicavam-se à agricultura e transaccionavam farinha de trigo, moída em duas azenhas existentes. Os dias lá passados nas férias eram de imensa alegria, com as viagens feitas em carro de cavalos, levando os sacos de farinha a outros montes. É um grande prazer, ainda hoje reviver S. Domingos de Ana Loura.

Azenha


Capela de S. Domingos de Ana Loura


Grupo de alunos (1955)


Escola com Bandeira Nacional


Capelinha de S. Domingos de Ana Loura


Monte das Ferrarias



1975

TAVIRA

Tempo de tropa em tempo de paz! Depois duma recruta violenta no RI5 das Caldas da Raínha (de Outubro a Dezembro de 1974), fomos parar a Tavira com mais uns quantos companheiros Ilhavenses. A viagem foi longa e exasperante! Partida de Aveiro num comboio perto das 2 da manhã e chegada a Tavira cerca das 19.30 H. O quartel ainda se mantém bonito e devidamente arranjado tendo, na altura, o nome de CISMI (Centro de Instrução de Sargentos Milicianos).

A especialidade que me era destinada dava pelo nome de IOR (Informações e Operações de Reconhecimento) e, caso curioso, o quartel tinha uma rádio interna, que funcionava logo de manhã pela alvorada e na hora das refeições. Os locutores escolhidos ficavam com uma benesse importante: apenas fariam um serviço de rotina e a partir daí teriam dedicação exclusiva à rádio. Fizémos o respectivo exame de ingresso e fomos admitidos. O único serviço escalado foi o de sentinela na guarita da foto, entre as 4 e 7 da manhã. Apanhámos um óptimo comandante de pelotão, que nos fez esquecer a recruta das Caldas. Ainda houve tempo para a tão falada dinamização cultural, fruto da revolução e efectuada numa aldeia das redondezas. Bons tempos passados em Tavira!!!


1978

ESCOLA SECUNDÁRIA DE VOUZELA

O primeiro emprego é sempre bem vindo! Foi na terra dos famosos pastéis com o mesmo nome da vila e na simpática Escola Secundária, que nesse tempo tinha formação agrícola nos 7º, 8º e 9ºs anos. As aulas práticas eram numa pequena exploração cedida pela Cooperativa, sendo a batata, a cultura principal, que depois era aproveitada para a cantina da Escola. Dado ainda não haver o IP5 e o trajecto para Vouzela ser demorado, praticamente os professores da zona de Aveiro ficavam toda a semana alojados na vila. Come-se bem por estas paragens e na altura toda a gente adorava o chouriço cozido com grelos!


1992

PROGRAMA DE RÁDIO RECORDAR É VIVER

De 12 de Março de 1992 a 8 de Fevereiro de 1994, na Rádio Terra Nova, realizámos 101 programas com o título genérico de Recordar é Viver, inseridos no Centenário dos Bombeiros Voluntários de Ílhavo. A equipa era constituída por nós, João Madalena, Manuel Teles e pontualmente pelo José Paulo Vieira da Silva. Modéstia à parte, o programa atingiu uma bela audiência, tendo em conta as chamadas telefónicas que íamos recebendo ao longo das emissões. Aqui ficam os registos duma parte dos nossos convidados:

esta publicacao nao tem imagens

Próximo

Registos