Temas

Musica Ilhavo Recreativo Ilhavo Antigo Ilhavenses Ilustres Lugares Carnaval Costa Nova Curiosidades Religiao Bombeiros de Ílhavo Illiabum Colegio Jornais Ílhavo Semana Santa Ilhavo
João Marques Ramalheira
In "Canção do Mar"
Falar de Ílhavo, é falar do mar - do seu sussurro, da sua canção cujo eco se repercute pelos séculos além. Ílhavo e o mar andam tão unidos como o perfume às rosas e a inquietação à alma humana!

Anterior

Cine Avenida

O Clero noutros tempos...

(Notas coligidas pelo autor com base em notícias/notas pessoais antigas, Beira Mar, Nauta e do Padre João Vieira Resende in O Ilhavense)

Padre Ângelo Pereira Ramalheira

pangelo

Filho de João Pereira Ramalheira e de Maria de Jesus Barreto, nasceu em Ílhavo a 13 de Outubro de 1883. Foi ordenado sacerdote no Paço Episcopal de Coimbra em 8 de Dezembro de 1908. Foi Capelão em França na 1ª Guerra Mundial e Capelão da Srª do Pranto de 1948 a 1974. Faleceu com 91 anos de idade a 31 de Outubro de 1974, estando sepultado no cemitério de Ílhavo.
 Alguns dos paramentos e objectos de culto, utilizados pelo Padre Ângelo Ramalheira:

Padre Manuel de Campos

Mais conhecido pelo Padre Manuelzinho, nasceu a 28 de Agosto de 1877 e faleceu a 2 de Janeiro de 1974. Filho de Bernardo Campos Calhau e de Luísa Raínha, faleceu em 02-01-1974 com 96 anos. Encontra-se sepultado no cemitério de Ílhavo

Monsenhor João Francisco Quaresma

JK

Frequentou o Seminário de Coimbra e celebrou nesta cidade, em 1896, a sua primeira missa no convento das Carmelitas. Passou pela Gafanha da Encarnação, onde fundou o Centro de Apostolado da Oração e seguiu para Leiria na altura das Aparições, sendo nomeado governador da diocese, sendo-lhe atribuído o título de Monsenhor. Por problemas de saúde, regressa a Ílhavo, sendo nomeado capelão da fábrica da Vista Alegre. Era uma pessoa muito bondosa, deixando saudades por onde passou. Era comum vê-lo passar de “landau”, que o transportava, naqueles tempos, da sua casa na Rua Vasco da Gama, para a Vista Alegre. Era filho de João Francisco Quaresma e de Joaquina Rosa da Conceição, nasceu em em Ílhavo a 30-12-1873 e falaceu em 05-10-1957, com 84 anos. Está sepultado no cemitério de Ílhavo

Padre João Manuel Cajeira

Frequentou o Seminário de Santa Joana, Aveiro e o dos Olivais em Lisboa, sendo ordenado sacerdote em 29 de Junho de 1954, na Sé de Aveiro. Iniciou-se como Vigário Paroquial de Águeda e foi pároco em S. Lourenço de Pardelhas, onde permaneceu, durante 37 anos, até à sua morte em 27 de Outubro de 1995.  Foi sepultado no cemitério de Ílhavo

Padre João Paulo da Graça Ramos

Natural de Ílhavo, nasceu em 11 de Agosto de 1925. Foi ordenado sacerdote pelo Arcebispo-Bispo D. João Evangelista de Lima Vidal em 21 de Fevereiro de 1948, tendo exercido o ministério pastoral em variados campos de acção: na Secretaria da Diocese (1948), administrador do Correio do Vouga (1949), prefeito e professor no Seminário de Aveiro (1949-1957), assistente diocesano da Acção Católica (1949-1965), professor de Educação Moral e Religiosa Católicas no Liceu de Aveiro (1957) e noutras escolas de Aveiro (1957-1980), assistente diocesano do Movimento dos Cursilhos de Cristandade (1964-1965), secretário de D. Júlio Tavares Rebimbas no Algarve (1965-1966), secretário diocesano da Obra das Vocações Sacerdotais (1966-1973), colaborador e coadjutor do pároco da Glória (1973-1981), capelão da Misericórdia de Aveiro (1973-2011), e também capelão do Santuário Tabor-Mater Ecclesiae, de Schoenstatt (1993-2011). Faleceu a 28 de Agosto de 2011 com 86 anos e está sepultado no cemitério de Ílhavo

Cónego José Maria Ançã

jmanca

Filho de José Ançã Junior e de Rosa Correia Ançã, nasceu em Ílhavo a 22-03-1865. Era cónego da Sé de Beja e pároco da Igreja de S. João Baptista daquela cidade, onde foi colocado em Novembro de 1905. No Seminário de Beja foi professor e examinador pro-sinodal, tendo leccionado várias cadeiras, sem remuneração alguma, a pedido do Bispo D. António Xavier. Foi também prefeito e vice-reitor do respectivo Seminário. Foi presidente da câmara municipal de Beja, professor do liceu e da Escola de Ensino Normal. Escreveu em vários jornais de Aveiro e na Folha de Beja. Como poeta escreveu O Bardo Católico, Expanções d'Alma, Sonetos e Líricas e  Poema da Juventude. Faleceu em 19-07-1926, estando sepultado no cemitério de Ílhavo.

Padre Dr.º Abílio Augusto Saraiva

Foi prior em Espinhel, Águeda, donde saíu para frequentar a Universidade Pontifícia de Salamanca, de 1959 a 1960, fixando então a sua residência em Ílhavo. Ia todos os anos à Universidade de Toulouse, tirando o bacharelato em Direito Canónico e licenciando-se em Teologia. Foi professor de Religião e Moral na Escola Industrial de Aveiro. Paroquiou na Gafanha da Nazaré, Sangalhos e Alquerubim. Morava no Choiso. Faleceu em 13-01-1966 com 54 anos. Encontra-se sepultado no cemitério de Ílhavo.

Prior Basílio Jorge Ribeiro

Esteve na paróquia durante 20 anos. Sucedeu ao Padre Manuel Branco de Lemos, tomando posse em 02-05-1924. Desempenhou funções até 12-11-1944, data em que foi substituído pelo reverendo Padre Alberto Tavares Sousa, ficando a exercer as funções de arcipreste, até à sua morte.

Nasceu em 03-05-1863 e faleceu em 22-10-1950 com 87 anos, encontrando-se sepultado no cemitério de Ílhavo

Padre João André Dias

Natural de Celavisa (Arganil), foi prior em Ílhavo a partir de 1872. Era um sacerdote muito distinto e venerado. Noutros tempos, a sua humilde sepultura foi sempre muito visitada pelos fieis, que ali iam rezar e cumprir promessas, acendendo velas e lanternas. Sofreu bastante com a política da altura. Faleceu em 6 de Setembro de 1882, com 54 anos. Está sepultado no cemitério de Ílhavo.

Padre José Resende

Natural de Vale de Ílhavo foi coadjutor em Ílhavo no tempo de Pereira Bilhano. Vivia numa casa própria nas Cancelas e era conhecido pela alcunha do Padre Curinha. Sendo um bom cantochanista (“Cantochão”antigo canto oficial da Igreja católica, sem grandes variações), presidia no côro aos ofícios da Semana Santa e ofícios fúnebres em Ílhavo e noutras localidades. Faleceu subitamente em 1892, quando regressava da Feira de Março de Aveiro

Padre João Nunes de Oliveira e Souza

Nasceu em 2 de Novembro de 1865. Era um sacerdote muito culto e inteligente, colaborando com os seus escritos no diário católico “A Palavra”. Pregador nato, ainda publicou dois volumes de homilias e foi autor de vários sonetos e versos. Faleceu em 3 de Junho de 1932 e está sepultado no cemitério de Ílhavo.

Padre Joaquim André Senos

Faleceu em 10 de Outubro de 1853, com 78 anos, tendo ofícios na capela de Nossa Senhora do Pranto

Padre João André Senos

Também conhecido pela alcunha de Padre João Borracha, foi professor do Ensino Primário em Ílhavo e na Gafanha da Nazaré e também proprietário de um companha de pesca, na Costa Nova. Era notória a sua habilidade como pregador

Padre Francisco Ernesto da Rocha Senos

Nasceu em Ílhavo, sendo pároco da Oliveirinha em 1867 e em Santo Varão (Alfarelos). Faleceu em Ílhavo.

Padre José Maria Regala

Duma família muito distinta e considerada em Ílhavo, celebrou a sua primeira missa em 16 de Abril de 1865, foi coadjutor durante muitos anos do pároco José Pereira Bilhano e mais tarde capelão das religiosas franciscanas do convento de Nossa Senhora do Pranto, em Cimo de Vila. Fazia parte da corte do Arcebispo (ver em Padre Dr.º Francisco Félix). Faleceu em 1918 estando sepultado no cemitério de Ílhavo.

Frei Manuel da Rocha Ramos

Foi membro da Ordem de S. Francisco de Assis. Viveu em comunidade no antigo convento Franciscano de Santo António de Aveiro. Passou os últimos dias da sua vida em Ílhavo, onde faleceu em 1870. Teve um irmão, Padre Luiz Gonçalves da Rocha, nascido em 1830, pároco em Gatões e falecido em 1910 e também um sobrinho, Padre José Maria de Anunciação Rocha. Todos foram sepultados no cemitério de Ílhavo

Padre José Nunes Pinguelo

Era natural do lugar, vila e Couto da Ermida, onde vivia e exercendo como sacerdote, mas também como político e lavrador. Fundou em 1868 a Irmandade de Nossa Senhora do Rosário, que ainda hoje existe e promoveu a respectiva festa religiosa. Como lavrador tomava parte nos trabalhos da terra, juntamente com os restantes assalariados e usando, para isso, os tradicionais tamancos, fazendo as camas dos animais. Faleceu em 1868

Padre Manuel José Resende

Era natural e morador em Vale de Ílhavo. Faleceu em 22 de Setembro de 1852 com 78 anos.

Padre Emídio Eduardo Pereira

Esteve durante muitos anos na paróquia de Sepins, Cantanhede. Os últimos anos de vida foram passados em Ílhavo, onde faleceu em 19 de Julho de 1915, com 62 anos

Padre Fernando Eduardo Pereira

Irmão do pintor Manuel Pereira, mais conhecido por Paz Guerra, viveu na Chamusca, onde leccionou Latim. Era parente do Padre Emídio Pereira e paroquiou em Ílhavo em 1853/54

Padre Benjamim Ferreira Jorge

Nasceu em 1875, filho de José Ferreira Jorge e de Maria Neves Couto. Estudou no Seminário de Coimbra e em Cimo de Vila, na casa de seus pais, ensinava várias disciplinas escolares para os alunos que frequentavam o Liceu de Aveiro. Foi presidente da Câmara de Ílhavo e pensou fundar um colégio na sua terra Natal, mas nunca o conseguiu, por várias adversidades. Ainda leccionou a disciplina de Francês no Seminário de Aveiro, desde Outubro de 1939 até à sua morte em 2 de Março de 1940, com 65 anos de idade. Está sepultado no cemitério de Ílhavo

Padre Manuel Maria Vieira de Resende

Nasceu em 26 de Janeiro de 1869, filho de João José Vieira de Resende e de Joana da Cruz Abreu. Terminou o Curso Teológico no Seminário de Coimbra em 1894 e rezou a sua primeira missa também neste ano. Iniciou a sua vida sacerdotal, onde permaneceu durante alguns anos, no Bom Sucesso, concelho da Figueira da Foz. Após a implantação da República, retirou-se para Vale de Ílhavo, aqui ficando até 1914, altura em que emigrou para a Califórnia (S. Francisco e Sacramento), passando a assumir os trabalhos pastorais numa igreja de Oakland, onde viviam muitos portugueses. Regressou mais tarde a Portugal, sendo capelão num Instituto Religioso perto de S. Martinho do Bispo. Faleceu em 3 de Abril de 1941, estando sepultado no cemitério da Conchada, Coimbra

Padre João Gomes

Foi capelão e procurador dos proprietários da Quinta da Vista Alegre (1774)

Padre Dionísio Simões Teles

Natural de Ílhavo, filho de Eusébio Simões Teles e de Maria de Jesus. Morava na Rua Direita e faleceu em 9 de Junho de 1863, com 68 anos

Padre Manuel Simões Teles

Morava em Cimo de Vila e faleceu em 7 de Março de 1855, com 82 anos, tendo ofícios na Capela de Nossa Senhora do Pranto. Está sepultado no cemitério de Ílhavo.

Padre Domingos Ferreira Jorge

Filho de João Ferreira Jorge e de Luiza Maria de Jesus. Manteve-se na paróquia durante 34 anos. Dava explicações na sua casa, nas disciplinas de Literatura, Português, Latim, Francês, Geografia e História e preparava todos os que quisessem ingressar no Seminário. Faleceu em 29 de Setembro de 1918, com 62 anos.

Padre Manuel António Lebre

Nasceu em 1820 e esteve na paróquia em 1851, no tempo de Rev. José Pereira Bilhano, seguindo para Canelas onde faleceu em 1882 e está sepultado.

Padre José António Morgado

Mais conhecido por Padre Calvo, filho de José António Morgado e de Joana da Rocha Bem (lavradores). Esteve como coadjutor em Ílhavo durante 17 anos. Foi o responsável pela construção, num terreno seu, perto da capela de Nossa Senhora do Pranto, dum edifício onde se vieram instalar as religiosas da Ordem Terceira Franciscana de Calais, mais conhecido pelo convento de Cimo de Vila. Aqui se ministrava o ensino de instrução e educação religiosas, bem como o ensino musical, nomeadamente, harmónio e piano. A partir da implantação da República, as religiosas do convento foram expulsas e o edifício, mais tarde,  depois de reparações, passou a ser ocupado pela Câmara e demais organismos, tais como escola e registo civil. A última Superiora do convento foi mére Renard, de nacionalidade francesa. O padre Morgado faleceu em 8 de Dezembro de 1908, com 82 anos de idade. Está sepultado no cemitério de Ílhavo

Padre Augusto Cândido Figueira

fig

Foi pároco em Ílhavo (1871) e capelão na Gafanha da Encarnação, onde fundou a Irmandade de Nossa Senhora da Encarnação e Almas em 2 de Setembro de 1901. Foi também farmacêutico.

Padre Drº. Francisco de Paula Ferreira Félix

Pessoa muito conceituada na época, pertencia a uma ilustre família de Ílhavo (Félix), que morava num local designado como Fonte para Cima (esta designação era de 1856 e corresponderia, sensivelmente, à actual Rua José Estêvão). Desconhecemos se hoje ainda haverá descendentes desta grande e conhecida família. Em 1850 era pároco encomendado na freguesia, tendo falecido em 1865 e está sepultado no cemitério de Ílhavo. Pertencia à chamada corte do Arcebispo, designação dada por Diniz Gomes, ao núcleo de ilustres Ilhavenses que na época privavam mais de perto com o Arcebispo Pereira Bilhano. Eram eles, Padre José Maria Regala, Padre José Cândido Gomes, Padre Dr.º Francisco Félix, Padre José Simões Chuvas, João Carlos Gomes (farmacêutico), José Gilberto Ferreira Félix (capitão de milícias e presidente da câmara), Luís dos Santos Regala, Pedro da Rocha Calixto (tabelião), Francisco Maria Regala (escrivão de direito), Manuel Tavares (engenheiro), António Eliseu de Almeida Ferraz (advogado), Manuel Maria Ferreira (secretário da câmara), Dionízio Cândido Gomes (recebedor do concelho e presidente da câmara), e António Cândido Gomes (comerciante).

Padre Manuel Ançã

Irmão do cónego José Maria Ançã foi professor no seminário de Beja. Publicou o livro "Valorosa Bélgica". Faleceu em 1936

Padre Manuel Fernandes de Barros

Filho de Luís Fernandes Barros e Maria de Jesus, nasceu em Ílhavo, em 08-12-1856 e faleceu em 21-01-1941 no Seminário dos Olivais. Paroquiou em Azeitão, Chão de Maçãs e Sacavém. Foi um excelente pintor e chegou a trabalhar na fábrica da Vista Alegre. Os seus quadros eram de arte religiosa, destacando-se um de S.Francisco de Paula, que estará no Museu de Ílhavo. Era um sacerdote muito querido pelo povo. Foi sepultado no cemitério de Sacavém.

Padre António Rodrigues Campos

Natural de Águeda, viveu e faleceu em Ílhavo. Na capela de Sta. Bárbara nas Moitas, chegou a celebrar durante alguns anos, as festividades em honra de Nossa Senhora das Febres a 8 de Setembro

Padre Manuel Fortunato dos Santos Carrancho

Natural de Ílhavo, paroquiou na Palhaça, onde faleceu e está sepultado.

Padre José Simões Chuvas

jsc

Ilhavense, foi coadjutor do Prior Pereira Bilhano em Ílhavo e pároco encomendado nesta freguesia. Fazia parte da corte do Arcebispo.

Padre José Nunes do Couto

Faleceu em 15-01-1855 com 71 anos, em Cimo de Vila

Padre João Vieira Resende

jvr

Nasceu em Vale de Ílhavo a 7 de Março de 1881, filho de João Vieira Rezende e de Ana Vieira dos Santos. Ordenou-se no Seminário de Coimbra em 22-12-1906, celebrando a sua primeira missa na capela do convento das Ursulinas em 29-12-1906. Foi prior em Vila Verde, Vagos e paroquiou na Gafanha da Encarnação durante vinte anos. Escrevia duma forma fluente e era muito culto Publicou a Monografia da Gafanha, as Alminhas, Ponte de Almear, Vultos Notáveis de Ílhavo, entre outros, colaborando para vários jornais da época. Faleceu em 13-10-1959 com 78 anos, estando sepultado no cemitério de Vale de Ílhavo.

Padre José Soares Lourenço

Nasceu em 14 de Julho de 1923, em Valongo do Vouga e foi ordenado sacerdote, com 24 anos, em Vagos, no dia 13 de Julho de 1947, pelo bispo D. João Evangelista de Lima Vidal. Foi capelão na Gafanha do Carmo tendo passado pelas paróquias de Ílhavo e Murtosa, com história também na Gafanha da Encarnação e Costa Nova. Nos últimos anos colaborou com a paróquia de Ílhavo. Faleceu em 27 de Agosto de 2016, com 93 anos de idade e está sepultado no cemitério da Gafanha do Carmo

Cónego José Cândido Gomes de Oliveira Vidal


jc

Irmão de João Carlos Gomes e de Dionísio Cândido Gomes, nasceu em Ílhavo a 11-03-1829. Foi aluno de José António Pereira Bilhano, mais tarde Arcebispo de Évora e cursou no seminário de Aveiro, rezando a 1ª missa em 06-10-1851. Passou pela paróquia de Oliveira do Bairro e leccionou na Escola de Vale Ílhavo e depois em Ílhavo. Foi secretário de Pereira Bilhano em Évora e em 1877 nomeado pároco da Glória em Aveiro. Em 1879 leccionou uma das cadeiras do curso das ciências eclesiásticas até 1884, tendo sido nomeado arcipreste e mais tarde as honras de cónego. Em 1885 foi nomeado director do Liceu Nacional de Aveiro, cargo que desempenhou até à sua morte. Era filho de Manuel José Gomes e de Victória Umbelina de Oliveira Vidal. Fazia parte da corte do Arcebispo.

Faleceu em 22-03-1892 e está sepultado no cemitério de Ílhavo

Padre José de Castro Paradela

pparadela

Sempre bem disposto e com um sorriso nos lábios, costumava rezar missa na capelinha da Srª das Neves, em Alqueidão. Filho de Joaquim de Castro Paradela e de Maria de Jesus, faleceu em 02-05-1972 com 90 anos de idade. Encontra-se sepultado no cemitério de Ílhavo.

Padre Joaquim Mendes Vaz Redondo

pred

Nasceu em Guimarães em 8 de Novembro de 1920 e frequentou o Seminário Franciscano de Santa Teresinha, em Felgueiras. Em 1941, tendo acompanhado os pais, passou a residir em Ílhavo; então, como aluno da Diocese de Aveiro, cursou os estudos de Teologia no Seminário de Cristo-Rei, nos Olivais. Recebeu a ordenação de presbítero em 29 de Junho de 1945, na igreja matriz de Pardilhó, sendo celebrante o arcebispo-bispo de Aveiro, D. João Evangelista de Lima Vidal. Foi professor no Seminário de Santa Joana Princesa, capelão nos lugares de S. Brás da Quinta do Gato, de S. Sebastião de Aradas e de Nossa Senhora da Conceição da Quinta do Picado, secretário da Chancelaria Diocesana e Chanceler da Cúria Diocesana de Aveiro. Coadjuvou na sua paróquia de S. Salvador, tanto na celebração da Eucaristia, como na preparação musical e no acompanhamento a órgão dos coros litúrgicos. Filho de José Redondo (maestro na Música Nova, Banda de Canelas, Banda de Castanheira do Vouga e Banda da Branca) e de Maria Amélia Vaz, faleceu em 12-06-2009 com 88 anos. Encontra-se sepultado no cemitério de Ílhavo.

Prior Manuel Branco de Lemos

bl

Nasceu em S.Martinho do Bispo em 21-03-1853, formando-se em Teologia na Universidade de Coimbra, rezou a primeira missa em 24 de Setembro de 1876. Mostrando uma grande vocação para o ensino, foi para Lisboa como perceptor dos filhos de Teodoro Ferreira Pinto Basto. Em 10 de Março de 1881 foi nomeado pároco da freguesia de S.Vicente Martins de Elvas, assumindo de seguida o cargo de Vigário Geral desta localidade. Em 27 de Outubro de 1882 foi nomeado director do Seminário de Elvas, leccionando Matemática e Teologia Moral. Em 6 de Março de 1884 assume a paróquia de Ílhavo, que governou durante 40 anos. Em 1900 lecionou Teologia Moral no Seminário de Coimbra durante três anos, sendo nomeado Cónego Honorário da Sé desta cidade. Nomeou o seu sobrinho e afilhado Padre Manuel de Campos, como seu universal herdeiro, estabelecendo donativos aos pobres. Filho de Adriano de Lemos e de Joaquina Raínha, faleceu em 22-01-1924 com 71 anos, estando sepultado no cemitério de Ílhavo.


Padre Vítor José Mónica de Pinho

vitjose

Nasceu em Ílhavo a 1 de Novembro de 1944, tendo sido ordenado sacerdote em 24 de Dezembro de 1967, por D. Manuel de Almeida Trindade, na Catedral de Aveiro. Durante algum tempo foi Director do Jornal O Ilhavense.  Filho de Horácio de Pinho e de Berta de Jesus Monica, faleceu em 17 de Novembro de 1984 com 40 anos de idade, estando sepultado no cemitério de Ílhavo.

D. Júlio Tavares Rebimbas

Arcebispo Bispo Emérito do Porto, nasceu a 21 de Janeiro de 1922, em S. Mateus do Bunheiro e faleceu em 6 de Dezembro de 2010, filho de Sebastião Tavares e Maria Antónia Tavares Rebimbas, ele pequeno agricultor, ela costureira. A 29 de Junho de 1945 foi ordenado padre, tendo recebido a ordenação episcopal a 26 de Dezembro de 1965, depois da nomeação para bispo do Algarve, a 27 de Setembro do mesmo ano. Foi nomeado arcebispo de Mitilene e auxiliar de Lisboa em 11 de Julho de 1972, e a 3 de Novembro de 1977 recebeu a responsabilidade de se tornar o primeiro bispo de Viana do Castelo. No dia 18 de Fevereiro de 1982 foi nomeado arcebispo-bispo do Porto, tendo resignado a 13 de Junho de 1997, aos 75 anos.

Foi ordenado presbítero pelo Arcebispo-Bispo de Aveiro, D, João Evangelista de Lima Vidal, em 29 de Junho de 1945, em Pardilhó. Celebrou Missa Nova, na sua terra natal, em 8 de Julho de 1945, sendo, no mesmo ano, nomeado Coadjutor do Pároco de Ílhavo. Em 1946 foi nomeado Pároco de Avelãs de Cima e Avelãs de Caminho, em Anadia. Em 21 de Outubro de 1949, Pároco de Ílhavo. Em 1951, Arcipreste de Ílhavo. Em 1952, Professor de Religião e Moral. Em 1958, Vigário Judicial da Diocese de Aveiro. Em 1959, Vigário Geral da mesma Diocese. No mesmo ano, nomeado Monsenhor, por S.S. o Papa João XXIII. Em 1961, nomeado Director do Colégio Liceal João de Barros, em Ílhavo. Em 21 de Janeiro de 1962, eleito Vigário Capitular da Diocese de Aveiro, por falecimento de D. Domingos da Apresentação Fernandes. Em 8 de Dezembro do mesmo ano, Governador do Bispado de Aveiro, na ausência de D. Manuel de Almeida Trindade. Em 1963, nomeado Consultor Diocesano e de novo Vigário geral. Foi presidente da Assembleia Geral da Santa Casa da Misericórdia de Ílhavo, e Membro de várias Comissões e Conselhos. Fundou, em 1954, o boletim "Família Paroquial", o Centro de Formação e Assistência de Ílhavo, o Património dos Pobres de Ílhavo, o "Lar de S. José" destinado a pessoas idosas e 18 casas para famílias pobres. Em 26 de Dezembro de 1965, dia de Santo Estêvão, foi ordenado Bispo, no Estádio Municipal de Ílhavo.

D. António dos Santos

dantonio

Bispo Emérito nascido a 14 de Abril de 1932 na Quintã, Vagos. Foi ordenado sacerdote por D .Evangelista de Lima Vidal em 1 de Julho de 1956. Foi Bispo Auxiliar de Aveiro (06-12-75) e Bispo da Guarda em 6 de Dezembro de 1979

D. Manuel Trindade Salgueiro

Nasceu em Ílhavo a 28 de Setembro de 1898 e ordenado sacerdote em 19 de Fevereiro de 1921. Em 23 de Novembro de 1940 foi nomeado, pelo papa Pio XII, Bispo-Auxiliar do patriarcado de Lisboa, com o título de Helenopolis in Palestina. Recebeu a ordenação sacerdotal em 24 de Fevereiro de 1941. Em 14 de Março de 1949 foi-lhe dado o título pessoal de Arcebispo de Mitilene. Após alguns anos de serviço em Lisboa, foi indigitado, em 20 de Maio de 1955, para a sede arquiepiscopal de Évora. Foi Arcebispo de Évora durante uma década, tendo falecido no cargo aos 67 anos. Em 1969 é inaugurada a sua estátua pelo Presidente da República de então, Almirante Américo Tomás. Trindade Salgueiro e o Dr.º Fernando Ilharco fundaram em 1968, o Centro de Recuperação de Menores em Assumar, concelho de Monforte (Portalegre).

Padre Manuel Francisco Grilo

pgrilo

Conhecido apenas por Padre Grilo, nasceu na Rua João de Deus a 14 de Maio de 1888, filho de um pescador e logo de pequeno sentiu grandes dificuldades. Frequentou o Seminário de Coimbra e, depois de ordenado sacerdote, foi nomeado coadjutor da Oliveirinha. Com 24 anos fixa residência com seus pais em Matosinhos, onde fundou a Sopa dos Pobres, distribuindo refeições aos mais necessitados. Tornou-se famosa a a sua saca de pano verde, onde guardava as esmolas que ia pedindo para todos os seus pobres. Conseguiu que o seu grande sonho se tornasse realidade, a construção de uma casa própria para os seus meninos - OBRA DO PADRE GRILO.
 Faleceu a 1 de Novembro de 1968, estando sepultado em Matosinhos.

Arcebispo D. José António Pereira de Bilhano

pbilhano

O Arcebispo de Évora, nasceu em Ílhavo no dia 22 de Março de 1801 e aqui faleceu (na sua casa da Rua Direita às 7.30 H da manhã), a 18 de Setembro de 1890, com 89 anos de idade. Foram seus pais João António Bilhano, pescador e Rosa Maria de Jesus, casal de pescadores de reconhecida pobreza. De pequeno manifestou inclinação para a vida eclesiástica, mas a falta de recursos da família e a morte prematura do pai, dificultaram-lhe essa intenção. Foi então que o ilustre ilhavense Dr. Manuel da Rocha Couto, deputado pelo círculo de Aveiro, o apresentou ao então Bispo de Aveiro, D. Manuel Pacheco de Resende, ficando sobre a sua protecção. Foi deputado pelo círculo de Aveiro, antes de ser elevado ao Episcopado, em 31-01-1853. Foi pároco na Oliveirinha e em Ílhavo e, por duas vezes, vigário geral da Diocese de Aveiro. Em Março de 1837 falecia o bispo de Aveiro e o Arcebispo Pereira Bilhano sofreu com esse acontecimento profunda depressão moral, tendo pedido exoneração de todos os cargos que desempenhava, tendo-se retirado para a sua modesta casa de Ílhavo, dedicando-se com a colaboração do padre Fernando Eduardo Pereira, ao ensino de Francês, Latim e Latinidade, História, Geografia, Lógica e Retórica, trabalho que exercia de forma gratuita. Como nessa altura havia poucos estabelecimentos de ensino secundário, Ílhavo tornou-se um grande centro de instrução e de cultura, graças à acção do Arcebispo. Em 1919 foi dado o seu nome à rua onde nasceu e inaugurada uma lápide naquela que foi a sua casa. Foi também nesta data publicado um número único especial "Glórias de Ílhavo", exaltando a sua figura. Encontra-se sepultado no cemitério de Ílhavo. O seu funeral realizou-se apenas três dias depois do falecimento, tendo assistido o Bispo Conde de Coimbra. Uma força do Regimento de Cavalaria de Aveiro, prestou as honras, dando no cemitério as descargas de fogo usuais para estes casos.


Próximo

Curiosidades de Ílhavo (1)